Hora de retomar a organização do IRPF 2020

Diante da pandemia do novo coronavírus e seus impactos aos contribuintes, a Receita Federal adiou por 60 dias o prazo de entrega da Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2020.

18/05/2020

DESTAQUE

Hora de retomar a organização do IRPF 2020


Diante da pandemia do novo coronavírus e seus impactos aos contribuintes, a Receita Federal adiou por 60 dias o prazo de entrega da Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2020 (DIRPF 2020).

Normalmente, a transmissão deve ser feita ao final de abril, mas, este ano, em caráter excepcional, a DIRPF 2020 poderá ser apresentada até 30 de junho.

Mesmo ganhando mais tempo para a prestação de contas, uma recomendação que se repete a cada ano é a de não deixar o preenchimento para a última hora. Sendo assim, é hora de retomar a organização dos itens necessários para o cumprimento dessa obrigação anual.




Vale lembrar que a organização prévia dos documentos contribui para:

  • identificar a falta de algum documento ou comprovante em tempo hábil para providências;
  • o devido planejamento da melhor estratégia quanto a determinados lançamentos;
  • garantir a dedutibilidade de despesas, reunindo os devidos comprovantes;
  • a agilidade na entrega da declaração, garantindo a prioridade no recebimento da restituição.

Restituição


O calendário de restituição foi mantido de maio a setembro, com o primeiro lote agendado para 29 de maio.

Serão priorizadas as restituições pela ordem de entrega das declarações. Contudo, a ordem de prioridade será:

    1. contribuintes idosos, assegurada prioridade especial aos maiores de 80 anos;

    2. o contribuinte portador de deficiência, física ou mental;

    3. os contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério; e

    4. os demais contribuintes.


Mudanças no IRPF 2020


  • A partir da declaração de 2020, não é mais possível deduzir as contribuições de empregados domésticos feitas ao INSS pelo empregador.
  • A Receita também passa a exigir o número do recibo da declaração anterior para os contribuintes titulares e seus dependentes que, no ano-calendário 2019, auferiram rendimentos sujeitos ao ajuste anual igual ou maior que R$ 200 mil.
  • Outra mudança é que deverão ser incluídas na declaração os CNPJs dos bancos onde o contribuinte possui conta corrente e investimentos.

Informações, documentos e comprovantes para ter em mãos


CPF dos dependentes

A inclusão do CPF de todos os dependentes é obrigatória desde 2019. Assim, é necessário providenciar o documento para todos que estarão listados na declaração.

Declaração de bens

Imóveis: é obrigatório informar a data de aquisição, área total, endereço completo, inscrição do IPTU, número de registro (RGI) ou documento que comprove a posse.

Veículos: deve-se informar o valor pago na compra, que não muda com o passar dos anos. A alteração de valor do bem só se justifica em caso de melhorias, como, por exemplo, instalação de blindagem.

Em caso de compra ou venda de imóveis, veículos e outros bens, é preciso informar o nome completo do comprador ou vendedor, endereço e CPF ou CNPJ e o comprovante de aquisição ou venda.

Comprovantes para dedução

Educação: mantenha organizados os comprovantes de escola regular, cursos técnicos, faculdade, mestrado, doutorado, pós-graduação para o abatimento previsto em lei. Cursos de idiomas e atividades extracurriculares são indedutíveis para fins de IR.

Saúde: reúna comprovantes e notas fiscais de pagamento de plano de saúde e consultas médicas, bem como internações e exames realizados pelo titular e dependentes. Despesas integralmente reembolsadas não podem ser deduzidas.

Demais comprovantes e documentos

(quando aplicável)

  • Comprovante de pagamento de pensão alimentícia
  • Comprovante de aluguel (pagamentos ou rendimentos)
  • Herança recebida no período
  • Doações feitas ou recebidas no período
  • eSocial de empregados domésticos
  • Empréstimos e financiamentos
  • Compra e/ou venda de ações

Informe de Rendimentos

Nesse documento constam todos os valores recebidos por uma pessoa física oriundos de uma fonte pagadora dentro de um ano-calendário, comprovando a origem dos pagamentos recebidos no período.

Tais valores devem ser informados na declaração e são os mesmos reportados pelas fontes pagadoras à Receita Federal como pagamentos efetuados em favor do contribuinte.

Certificado digital

O certificado digital garante a segurança no envio dos dados, além de facilitar a verificação e correção de informações e o acompanhamento da declaração. É preciso estar atento à data de expiração e caso necessário, providenciar a renovação.


Apoio para a entrega do IRPF 2020


O contribuinte pode contar com as soluções da Domingues e Pinho Contadores para preenchimento e transmissão da DIRPF 2020. O serviço é realizado de forma ágil, personalizada e sigilosa pela equipe dedicada ao atendimento da Pessoa Física, garantindo a plena conformidade à exigência da Receita Federal do Brasil.

Assine nossa newsletter:

Se interessou?

Entre em contato conosco para que possamos entender seu caso e oferecer a melhor solução para você e sua empresa.

Fale com um especialista
Português